A carregar...

PERSPECTIVAS, ESPECULAÇÕES E UTOPIAS

18º ENCONTROS DA ARRÁBIDA - CAMINHOS DA COMPLEXIDADE
2, 3 e 4 Julho 2018 | Convento da Arrábida

PERSPECTIVAS, ESPECULAÇÕES E UTOPIAS

2, 3 e 4 Julho 2018 | Convento da Arrábida

Horário
2 e 3 Julho | 9.30 às 18.00
4 Julho | 9.30 às 15.00

Público-alvo | Academia
1 dia €25 | 2 dias  €45 | 3 dias €60

Inclui documentação, almoços e coffee breaks
Nota | Número limitado de inscrições.


Organizadores/Coordenadores | Tanya Araújo e Hélder Coelho

Desde 2000 que o Instituto de Ciências da Complexidade, em colaboração com a Fundação Oriente e até há algum tempo também em colaboração com a Fundação Calouste Gulbenkian, tem vindo a organizar um encontro anual em que os mais diversos temas das ciências naturais e sociais são abordados numa perspectiva inclusiva e numa tentativa de fazer sentido do mundo complexo em que vivemos.
Depois de ao longo dos anos terem sido tratados temas mui diversos numa abordagem disciplinar, é chegado o momento de fazer um ponto da situação, perspectivar o que foi conseguido e, se possível, esticar a mão até ao futuro e fazer algumas previsões.

O planeta onde vivemos, planeta-astro e planeta-humano, é um espaço muito complexo, global, interligado e, talvez pela natureza das limitações humanas ou talvez pela sua própria natureza, apresenta-se como algo aleatório e imprevisível.
Sem a preocupação de marcar um alvo limite neste século, é de todo o interesse debater ideias novas para problemas antigos e antever territórios onde a nossa capacidade de intervir poderá ter algum sucesso nas próximas décadas. A área da saúde pública sobressai, a nível internacional, como uma das áreas onde se avizinham grandes saltos em frente. Mas também a resolução das limitações energéticas, a sustentabilidade, o futuro da noção de trabalho e a governabilidade do planeta humano, entre outras. A ciência atingiu um nível de desenvolvimento incomparável com o de séculos anteriores. Porém um número considerável de cidadãos foge da ciência e duvida que ela possa resolver as incertezas e os riscos que atrapalham a qualidade do nosso futuro.
Como foi isso possível? Que escolhas devemos hoje fazer?

Alguns dos anteriores encontros Caminhos da Complexidade tiveram a natureza de verdadeiras conferências internacionais, muitas vezes com a maioria de participantes vindos de outros países. Desta vez, por contraste, a opção foi de nos concentrar numa participação nacional e ver o que a inteligência desta pequena parcela do planeta nos poderia dar como contribuição para problemas tão globais.

PROGRAMA
1º Dia | 2 Julho
09.30-09.35 | Abertura
09.35-10.05 | Jorge B. Macedo – Globalização, liberdade e proximidade, ilustrações do círculo virtuoso ou vicioso.
10.05-10.15 | Discussão
10.15-10.45 |  Tanya Araújo e Francisco Louçã – Microsimulação e mercados de trabalho.
10.45-11.00 | Discussão
11.00-11.30 | Intervalo café
11.30.12.00 | João M. Caraça – Complexidade, especulações e deambulações.
12.00-12.15 | Discussão
12.15-12.45 | Pedro M. Miranda – Complexidade climática.
12.45-13.00 | Discussão

13.00-15.00 | Almoço

15.00-15.30 | Ernesto Costa – Os limites do artificial.
15.30-15.45 | Discussão
15.45-16.15 | Luís Correia – Novas formas de inteligência.
16.15-16.30 | Discussão
16.30-17.00 | Intervalo café
17.00-17.30 | José Fernando Mendes – Redes complexas, porquê são importantes?
17.30-17.45 | Discussão


2º Dia | 3 Julho
09.30-10.00 | João Martins Ferreira do Amaral – Complexidade e sistemas sociais.
10.00-10.15 | Discussão
10.15-10.45 | José Castro Caldas – Máquinas e trabalho humano, utopias e distopias.
10.45-11.00 | Discussão
11.00-11.30 | Intervalo café
11.30.12.00 | Rui Malhó – A edição de genomas e a digitação das ciências biológicas – o futuro desejável é o possível?
12.00-12.15 | Discussão
12.15-12.45 | António Martins da Silva e João Freitas – Oscilações de alta frequência no electroencefalograma, da origem à progressão do processo epileptógeno.
10.45-13.00 | Discussão

13.00-15.00 | Almoço

15.00-15.30 | Hélder Coelho – Maquinaria da previsão.
15.30-15.45 | Discussão
15.45-16.15 | Luís Antunes e Hélder Coelho – A falta de educação.
16.15-16.30 | Discussão
16.30-17.00 | Intervalo café
17.00-17.30 | Tiago Santos – Detetar efeitos de agenda das conversas no twitter.
17.30-17.45 | Discussão

3º Dia | 4 Julho
10.00-10.30 | Rui Vilela Mendes – A matemática como amplificador dos sentidos das ciências da natureza.
10.30-10.45 | Discussão
10.45-11.15 | Intervalo café
11.15.12.30 | Discussão Geral

13.00-15.00 | Almoço



Ficha de Inscrição Fundação Oriente

 Nome
 Morada
 Localidade
 Código Postal
 NIF
 Tel.
 E-Mail
 Profissão


Pagamento Cheque

Cheque nº   Banco   Montante

O pagamento deverá ser efectuado por cheque emitido à ordem da Fundação Oriente (enviado para Museu do Oriente Rua Brasília, Doca de Alcântara Norte 1350-362 Lisboa)

 

Transferência bancária para a seguinte conta (por favor, enviar comprovativo)

NOVO BANCO
IBAN: PT50 000700000045279037523
BIC: BESCPTPL


Política de Privacidade
Aceito a Politica de Privacidade e Tratamento de Dados


Em caso de desistência:
Haverá lugar a reembolso do valor total da inscrição quando a desistência for comunicada até 8 dias úteis antes do workshop. Depois dessa data, o reembolso só poderá ser considerado se o lugar for preenchido.
Caso o workshop não se realize por falta de participantes, ou por outro motivo, o valor da inscrição será devolvido na sua totalidade.


* Campo de preenchimento obrigatório