A carregar...

PROGRAMA DE BOLSAS FUNDAÇÃO ORIENTE

TRÊS DÉCADAS EM BALANÇO

PROGRAMA DE BOLSAS FUNDAÇÃO ORIENTE

Em 2018, a Fundação Oriente assinalou 30 anos de actividade e o Museu do Oriente 10 anos de existência. Esta dupla efeméride suscitou uma análise em jeito de balanço sobre uma das vertentes de acção cultural de maior tradição e impacto da Fundação, o programa de bolsas de estudo. Com vista a incluir nesta reflexão testemunhos e experiências directas e diversas, teve lugar no dia 23 de Novembro, pelas 17.00 horas, o Encontro de Bolseiros da Fundação Oriente, que contou com a presença de oitenta bolseiros convidados. A mensagem de boas-vindas ficou a cargo de Carlos Monjardino, Presidente do Conselho de Administração da Fundação Oriente, seguindo-se a apresentação do programa de bolsas por João Amorim, Vogal do Conselho de Administração da Fundação Oriente.
Seguiram-se apresentações de testemunhos de vários ex-bolseiros, entre os quais a artista Ana Perez Quiroga e o historiador e investigador Alfredo Gomes Dias. No final da sessão foi ainda apresentado o blogue Rede de Bolseiros – Fundação Oriente. Lançado no final de 2018, este recurso online pretende constituir um espaço de encontro, partilha e dinamização do trabalho dos bolseiros, entre si mas também com a comunidade alargada de investigadores, especialistas e artistas, dentro e fora de Portugal.
Consulte o blogue em http://bolseiros.foriente.pt/

Nesta ocasião foi ainda inaugurada uma pequena mostra bibliográfica e artística de trabalhos desenvolvidos pelos bolseiros, patente no piso-1 do Museu do Oriente.

O programa de bolsas de estudo em números.
Iniciado em 1989, o programa de bolsas da Fundação Oriente atribui 950 bolsas (694 anuais e 256 de curta duração) a bolseiros de 22 nacionalidades, de onde se destacam os portugueses, seguindo-se os bolseiros de origem chinesa, indiana e coreana.
As tipologias com maior número de bolsas concedidas foram as bolsas de Língua e Cultura Portuguesas e as bolsas de investigação. Num total de 26 áreas de estudo, foi a História que registou o maior número de bolsas atribuídas.