A carregar...

COMPLEXIDADE 4.0: MODELOS E POLÍTICAS GLOBAIS

Encontros Caminhos da Complexidade
1 a 3 Julho | Convento da Arrábida

COMPLEXIDADE 4.0: MODELOS E POLÍTICAS GLOBAIS

1 a 3 Julho
19º Encontros da Complexidade

Realizou-se na Fundação Oriente (Convento da Arrábida), nos dias 1-3Julho, os 19º Encontros da Complexidade, desta feita subordinada ao tema “Complexidade 4.0 – modelos e políticas globais”.  Com o habitual apoio da Fundação calouste Gulbenkian e este ano organizado pelo Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI), o encontro contou com a participação dos seguintes palestrantes:
Ana Gouveia, Sandra Maximiano, Jorge Braga de Macedo, João Caraça, Maria Eduarda Gonçalves, Pedro Veiga, Luis Correia, Ricardo Dias, Rui Oliveira, Rui Malhó, Ana Catarina Luz, Miguel Bastos Aráujo, Tiago Santos, Francisco Santos, Sofia Teixeira e Helder Coelho.
 
Nos últimos anos, o número 4.0 passou a estar frequentemente associado à emergência de uma nova revolução industrial baseado na automatização de processos e capacidade computacional. Neste encontro estendeu-se e discutiu-se esse conceito para além das questões da manufactura abordando o seu impacto nas áreas do Ambiente, Sociedade, Economia e Trabalho. Com efeito, a digitalização de processos tem implicações transversais a todos os aspectos da nossa vida – do meio ambiente à economia, da saúde à cibersegurança – que necessitam de ser abordados com modelos complexos e com reflexo nas políticas globais. Como gerir redes de informação respeitando individualidade e privacidade? Como determinar valor real de bens e produtos assegurando sustentabilidade da manufactura e processos associados? De que forma pode a inteligência artificial auxiliar-nos na gestão de recursos e no combate às alterações climáticas? Que políticas implementar para conciliar robotização, trabalho e fluxos migratórios?
Estas questões foram debatidas ao longo das quatro sessões pelos palestrantes e participantes no Encontro. Está prevista a elaboração de um livro de resumos com as principais conclusões e recomendações que se possam traduzir em políticas globais ao serviço da comunidade.